Projeto “Afrofuturismo – Griô Urbano” – Memória Audiovisual

O Projeto “Afrofuturismo – Griô Urbano” faz parte da Memória Audiovisual do CEACA, referente ao ano de 2009. É o resultado de um trabalho de pesquisa e investigação, intervenção urbana e apresentação audiovisual que tem como foco a história da cultura afro-brasileira na formação da identidade nacional.

“Esta atividade integra o Prêmio Interações Estéticas Residências Artísticas em Pontos de Cultura” e foi publicado no Youtube em 14 de out de 2015.

 

Direção: Daniel Lima

Concepção e Realização: Daniel Lima, Daniela Biancardi

Griô Urbano: Mestre Alcides de Lima

Ponto de Cultura Amorim Rima / CEACA:
Mestre Alcides de Lima
Mestre Dorival dos Santos

Mestre Durval do Côco
Adelvan de Lima (Esquilo)
Fabio Rocha (Soneca)
Herinque Rocha (Sonequinha)
Rodrigo Martins (Pança)
Tomás Pimentel (Tomate)
Direção Musical:
João Nascimento

Participação Musical:
Eliane do Côco
Diana Tatit
Tati Tatit
Katiane Mattge
Athaíde Camará (Marcha Lenta)

 

Participação Especial:
Alfredo Zito
Athaíde Camará (Marcha Lenta)
CM Durval (Jabá)
Diana Tatit
Eliane do Côco
Emerson Marinheiro (Lagarto)
João Nascimento
Katiane Mattge
Mário Salles (Gaúcho)
Tati Tatit
Roberta Estrela D’Alva
Majoi Gongora
Paulinho Baraúna

Apoio:
CEU Butantã
EMEF Desembargador Amorim Lima
Política do Impossível – PI

Fonte: Youtube

Anúncios

Curso de Pedagogia Griô e Produção Partilhada do Conhecimento em Debate

Comunidades e mestres da tradição oral, pesquisadores e educadores estiveram juntos em dezembro para realizar o curso de Pedagogia Griô e Produção Partilhada do Conhecimento. O evento foi promovido pela USP — Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas e Escola de Comunicações e Artes — em parceria com entidades que reconhecem a tradição das culturas orais como um patrimônio imaterial brasileiro: Universidade Griô, Universidade Livre Fora do Eixo, Centro de Estudos da Capoeira, Nina Griô e representantes de Pontos de Cultura do Ministério da Cultura. Mestres griôs vindos de vários cantos do Brasil contaram histórias, falaram de rituais, traduziram expressões linguísticas e envolveram os participantes com vivências narrativas e corporais. Eles vieram representar as tradições do interior brasileiro, tanto o universo da cultura afrobrasileira, quanto as etnias Karajá, Xavante e Bororo. A Pedagogia Griô tem como proposta levar conhecimento e a memória da cultura oral brasileira às escolas, através de mestres reconhecidos pela comunidade onde vivem.

 

 

Fonte: Univesf, youtube.