Capoeira – Ancestralidade viva. Festa de 10 anos de capoeira Matungo, Mestre Zelão.

Festa 10 anos Capoeira Matungo, Mestre Zelão, 2019.

Palestra ancestralidade. 2019.

A capoeira e a ancestralidade.

 

Vida que não morre

Da boca ao ouvido

Tem início, mas não tem fim…

 

“Capoeira resistência ancestral”

 

Anúncios

BATIZADO DE CAPOEIRA DO PONTO DE CULTURA CEACA/AMORIM

“Há duas forças no mundo: uma é a espada e a outra é a caneta. Mas há uma terceira força, mais poderosa ainda do que as anteriores: a das mulheres” [MalalaYousafzai]

 

Mestre Coordenador: Alcides de Lima Tserewaptu

Mestres: Dorival dos Santos e Durval do Coco

Equipe: CM Lagarto, Professores: Rodrigo Pança, Valter, Instrutores: Felipe, Katiane, Marcela, Lucas, Guilherme, Nicolas, Yara e Giovani.

No dia 9 de Dezembro de 2018 aconteceu um dos eventos mais esperados na região do Butantã: o XVIII BATIZADO DE CAPOEIRA DO PONTO DE CULTURA – AMORIM RIMA\CEACA (54º Batizado geral) e troca de cordões das crianças e jovens que estudam na Escola Desembargador Amorim Lima.

Endereço: Rua Vicente Peixoto, 50, Vila Indiana (ao lado da Praça Elis Regina).

 

Veredas da informação em culturas de tradição oral

Em nome do CEACA, agradecemos aos Amigos e Amigas que compareceram para assistir à Defesa da Tese de Doutorado intitulada “Veredas da informação em culturas de tradição oral: a esfera encantada das bibliotecas vivas”, autoria de Edison Luís dos Santos ocorrida no dia 06 de Agosto de 2018, às 14h00, na sala Aprendizado Eletrônico (101), 1º andar do Prédio Central da ECA/USP.

Manifestamos a mais alta estima e satisfação por contarmos com a dádiva de vossa presença!

Resumo: A tese apresenta o estudo de natureza exploratória do processo de produção partilhada de saberes e apropriação de dispositivo de informação desenvolvido com mestres e aprendizes da cultura de tradição oral. A obra resulta de um diálogo na fronteira entre o legado das culturas de tradição oral e as novas tecnologias da escrita, em que experimentamos uma relação com o saber, voluntária e coletiva, da ciência como artesanato. A materialização da produção partilhada de saberes se deu no fazer prático (savoir-faire) por meio do qual os sujeitos do saber aprenderam a conhecer e a fazer juntos.

Palavras-chave: Epistemologia da Ciência da Informação. Cultura – Tradição Oral. Informação e Memória. Dispositivo de Informação. Redes Sociotécnicas. Bibliotecas Vivas.

Referência bibliográfica: SANTOS, Edison Luís dos. Veredas da informação em culturas de tradição oral: a esfera encantada das bibliotecas vivas. 2018. Tese (Doutorado em Cultura e Informação) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/27/27151/tde-02102018-163618/>.

Como se ensina:

A tradição oral tem os seus métodos o acolhimento, a escuta, a transmissão, a troca, o sentir. Ela não morre, permanece no interior daquele que é tocado e ressoa num som ancestral nos ouvidos dos próximos…

 

 

Capoeira resistência ancestral

Roda de Maculelê na Praça Elis Regina com o Coletivo Rumpilê Maculelê.

quem tem roupa vai à missa

quem não tem faz como eu…

 

Bora povo…

Bater MACULELÊ.

Domingo, 13/08/2017 às 11h.

Asè.

maculele na praca flyer

CEACA : Resistência Ancestral

ceaca

Memória do Ceaca

Alcides.usp

Mestre Alcides de Lima jogando Capoeira

Ceaca-crusp2000

Grupo CEACA de capoeira, Crusp-USP, 2008.

Clique no link para assistir: História do CEACA

Vídeo produzido pelo CEACA em 2010, mostra um pouco da história de resistência e luta para a permanência da capoeira.

É muita história para contar…

 

Batizado 2016.

 

Para não esquecer…

Daquilo que vi:

Triscado no arame

Batido no topo da cabeça

Tomado pelo hálito

Incorporado pela poeira.

#capoeiraresisteciaancestral